O que se ouve hoje por cá

Hoje é o senhor Jordi Savall que anda por cá a fazer companhia aos gatos, a mim e ao trabalho.

CERCO


Inaugura hoje a Feira Internacional de Cerâmica Comtemporânea CERCO, em Saragoça. No programa está incluída a exposição de Joaquín Vidal intitulada "Clase Insectae" e o Festival de "Domadores de Fuego" e que em ambos os casos participo.
Para verem o programa, basta clicar na imagem.

Domadores 2010 . Encuentros en la Tercera

Entre os dias 10 e 25 de Junho haverá um encontro de "Domadores de Fogo" no parque Muel, Saragoça. Aqui fica o programa:



Sofia Beça - "Borboletário" - Mural de grande formato
Gerardo Pescador e Juan Fuentes - "Sarmientos" - obra de grande formato
Pedro Fuertes, escuela taller dpz - "Minotauro" - Mural de grande formato
Joan Mundet e Mercá Trabal - Mural de grande formato
Jesús Deza e Alicio Rubio - Restauro e cozedura em antigo forno de lenha
Alberto Hernández e Joaquin Vidal - Construção de forno especial para a obra "Somier" de Alberto Hernández de 14 a 16 Junho



Há uma pequena inscrição para quem quiser colaborar, visto haver muitos interessados em trabalhar com os autores.



Entre os dias 26 e 27 de Junho realizar-se-á o "Festival de Domadores de Fuego" com mais participantes, onde poderá encontrar mais informação em http//domadoresdefuego10.blogspot.com.

Desenhos dos miúdos nos azulejos

Aqui está o resultado final de um dos 20 desenhos dos miúdos a passar para azulejos. Como a ideia inicial era que fossem os próprios miúdos a pintar os azulejos, tentamos pintar como eles pintariam.
A inauguração da exposição foi ontem, no Museu do Móvel, em Paços de Ferreira e poderá ser visitada durante mais uns dias.
Devo agradecer aos meus colaboradores, Carla, Anabela, Artur e Vitor, por me terem ajudado a cumprir o prazo de entrega, que era demasiado curto. Ao Vitor Hugo agradeço em dobro, pois também foi ele quem me ajudou a montar a exposição.
O parque urbano já entrou em obras e daqui por uns meses os azulejos já poderão ser colocados em definitivo na fonte.
Daqui por dois ou três meses começa a outra parte do trabalho, ou seja, o meu projecto de revestimentos de bancos, nesse mesmo parque público.

Artigo na revista Ceramics - Art and Perception




No último numero da revista americana "Ceramics - Art and Perception", publicaram um artigo sobre a exposição que fiz, faz agora dois anos, em Drathen, na Holanda, intitulada "From Womb to Tom". O artigo deveria ter saído na altura, mas mais vale tarde que nunca.
Para quem quiser ler em inglês, é só clicar nas imagens, para os que gostam de simplificar e aguentam um artigo longo, aqui vai a tradução:

A escolha de Paulien Ploeger
Enquanto recentemente algumas fronteiras da Europa desaparecem e a Leste estas se deslocam, a Sudeste a fronteira ainda é feita da água que separa a Península Ibérica do Continente Africano.
Durante a primavera de 2008, a De galley De Lawei, em Drathen, ofereceu ao público holandês a possibilidade de conhecer peças únicas deste canto da Europa.
A exposição "Do Ventre ao Túmulo - refúgios e habitats", apresentou as peças da ceramista Sofia Beça.
Esta exposições foi organizada por Paulien Ploeger, que foi convidada pela galeria para apresentar um evento surpreendente, tendo sido anteriormente responsável por projectos onde a arte da Lituânia foi o tema principal.
Com esta nova exposição, com a artista portuguesa Sofia Beça, surge de novo em destaque a arte de um país até agora desconhecido.
"Numa Europa em mudanças, isto é muito importante", diz Paulien. "Nós estamos conscientes da nossa identidade nacional e das diferenças regionais. É importante que essas diferenças sejam preservadas para prevenir que se perca esta rica palete cultural da nova Europa".
A exposição "do Ventre ao Túmulo - refúgios e habitats", mostrou o trabalho tridimencional de Sofia Beça. Esta ceramista recebeu em Dezembro de 2007 uma nomeação na Bienal Internacional de Cerâmica de Aveiro com a peça "Borboletear", exposta em Drathen. Também em anos anteriores recebeu idênticos prémios, no país e no estrangeiro. Participou no simpósio "Amakusa Ceramic Art", em Hondo, no Japão e representou Portugal no "VII Simpósio de cerâmica de Avellaneda", em Buenos Aires, Argentina.
O trabalho de Sofia Beça é elaborado a partir da tradição cerâmica portuguesa e dos seus interesses pessoais. Dois dos temas mais importantes da ceramista estão patentes na exposição "refúgios e habitats", materializando estes conceitos numa forma pessoal e a partir do seu historial. O uso das cores, com muito vermelho, lembra África e a terra espanhola e portuguesa.
O tema "refúgios" tem tudo a ver com a imagem ancestral do modo de vida do ser humano. Desde o início, o Homem escolheu as cavernas como o seu habitat, espaço que lhe dava a protecção ideal. Também nas crianças, que gostam de fazer cabanas e espaços para esconderem os seus segredos, é possível reconhecer estes instintos ancestrais.
Em todo o ciclo da vida de "do ventre o túmulo" é demonstrada esta necessidade animal e humana de criar refúgios.
O trabalho de Sofia Beça foi muito inspirado neste tema universal. Ela materializa refúgios de pessoas e animais de uma forma muito humorística e pessoal.
O segundo tema desta exposição tem a ver com a envolvente dos animais, os seus habitats. Também as pessoas cada vez mais criam espaços à sua volta para se protegerem da sociedade complexa de hoje em dia. Mas, neste ponto, parece que perdemos a noção da importância da natureza. Sofia Beça tenta, com o seu trabalho, dar forma à importância deste tema.
As instalações nos pavimentos e paredes em Drathen foram complementadas com as fotografias de Rui Costa, que nos deu um olhar microscópico dos habitas, e com o som de Gustavo Costa, cuja música foi propositadamente concebida para o evento.
Complementando a exposição de uma forma mais abrangente, foram efectuadas, antes da inauguração, duas conferências.
No que respeita ao percurso de Sofia Beça, uma das conferências se afigura mais importante, nomeadamente sobre a confluência do passado europeu com a cultura árabe na Península Ibérica. Muitos conhecimentos nas áreas das ciências, poesia e filosofia tiveram a sua divulgação pelo sul da Europa. Os vestígios desta influência são hoje visíveis na arquitectura, como está patente nos azulejos e "zillïj´s" dos murais da famosa Alhambra, em Granada.
A conferência abordou a relação entre a arquitectura e a arte cerâmica.
Desta forma, a exposição contribuiu para um melhor entendimento do passado cultural e histórico da arte do Sudeste da Europa, criando um ambiente fértil para a troca de novas ideias.
Como Paulien Ploeger afirmou "onde as culturas se encontram e as pessoas trocam ideias, a nossa mentalidade tem a possibilidade de florescer e os artistas participam, com o seu trabalho, para uma comunicação visual estimulante".

La esencia de lo simple

Inaugurou no passado dia 6 de Maio, mais uma exposição do meu querido amigo Juan Ortí intitulada "La esencia de lo simple", na Ademuz Espai D´Art, em Valência e poderá ser visitada até dia 26 de Maio.

"Volúmenes cilíndricos albinos, sobre cuyas tersas superficies la luz resbala y se difunde blancamente, para recortarse dramáticamente en la dureza de las aristas, de los cortes, de los escalones y de las finas hendiduras, que marcan y acotan con decisión sus firmes cuerpos redondeados. Fuguras tridimencionales coronadas de caperuzas cónicas o esféricas, densidades compactas que definen entre ellas sinuosos circuitos ensoñados y parecen buscar, desde su propria intemporalidad, um diálogo imposible con el tiempo presente. Piezas rotundas que recortan su silueta con total firmeza, sin jamás engarzar voluntariamente con su entorno, que decididas, marcan absolutamente su presencia mediante un dentro y un fuera, sin titubeos, sin reparos de ninguna especie. Lo proprio y lo ajeno, a cada concepto opuesto su definida y separada existencia."...
Pilar Insausti Machinandiarena

Desenhos dos miúdos nos azulejos

Tenho apenas até amanhã para terminar a pintura dos desenhos dos miúdos nos azulejos. Esta semana é Vitor Hugo quem colabora comigo, e com a Carla Capela está Anabela Garcia a colaborar. Entretanto, Álvaro Afonso, da fábrica Mortalarte, já nos foi trazendo alguns azulejos cozidos, que aqui se apresenta o resultado. Para a semana é a montagem da exposição destes trabalhos, na Câmara Municipal de Paços de Ferreira, depois seguem para o parque urbanos e lá ficarão em definitivo.

"Clase Insectae"

Inaugura no próximo dia 13 de Maio, pelas 19 horas, a exposição de Joaquin Vidal, intitulada "Clase Insectae". Para esta exposição Joaquin Vidal, convidou alguns autores, relacionados com pintura, cerâmica, desenho e fotografia para fazerem "duetos" com o seu trabalho, autores esses que são Adolfo Giner, Alberto Hernández, Sofia Beça, Juan Gimenez, Miguel Molet, Rafael Perez, Lola Royo Viñado, entre outros num total de 25.

Joaquin Vidal escreveu:
"A todos los artistas que han colaborado aportando sus obras sin ningún repaso, ni mas requisito que dicir, si."

Esta exposição pode ser vista até dia 20 de Junho em Torreón Fortea, calle Torrenueva, 25, Zaragoza.

Pintura de azulejos



Embora não tenham passado muitos dias, o ritmo tem sido tão acelerado por aqui por casa, que parece que já não vinha aqui ao blog á muito tempo. Na realidade, pouco ou nada mais tenho feito que não seja passar desenhos para azulejos e pintá-los. Consegui arranjar mais um colaborador, Artur Ruivo, que infelizmente só estará por cá até amanhã. Depois terei que arranjar outra colaboração, só assim conseguirei ter o trabalho terminado no prazo certo. E como não posso falhar (não é por acaso que me chamavam "a menina dos horários") a nova colaboração terá que surgir muito rapidamente e se aprender e trabalhar com a mesma rapidez e perfeição do Artur, isso será possível. Claro está que a Carla também já anda como eu, sem saber por onde se virar. Ajudas precisam-se, nem que seja para virem cozinhar, como foi hoje o caso da Lina, que se lembrou que é necessário comer.

Desenhos dos miúdos nos azulejos

A Câmara Municipal de Paços de Ferreira vai muito brevemente começar as obras de um parque urbano, com projecto coordenado pela Arq.ª Marisa Graça. Nesse projecto tenho duas responsabilidades; uma, o revestimento dos bancos ( que está prevista para mais daqui a alguns meses) e a segunda, a coordenação de murais de azulejos com desenhos de crianças do ensino básico. A ideia inicial era as próprias crianças pintarem os seus desenhos nos azulejos, mas por questões logísticas, isso não foi possível e acabou por ficar sob a minha responsabilidade a pintura dos azulejos. Como há urgência na entrega dos murais, que são vinte, terei a Carla Capela como minha colaboradora, mas já percebi que não vai chegar. Vou ter que arranjar muito rapidamente mais uma colaboração. Tudo tem que estar pintado e cozido até ao dia 17 deste mês.